Diretoria e intercâmbio

Apresentação da diretoria de Cartéis

Lacan, em 1964, ao se desligar da IPA, fundou uma Escola e não uma sociedade. Um ato que, sob os efeitos do desejo de Freud, institui a formação permanente. Estabelece, aí, o Cartel, o Passe, junto com a análise, pilares da transmissão psicanalítica. Ao pertencer à Escola, apostamos na Ação Lacaniana.
O Cartel sustenta e tira consequências do ponto impossível de ensinar, incluindo-o em seu funcionamento. Tal como em uma análise, só por seus efeitos saberemos se houve trabalho de Cartel. Podemos dizer que Cartel e Passe encontram um ponto de conexão.
É sempre importante lembrar que em qualquer agrupamento humano, o imperativo da voz superegoica, em maior ou menor escala, exigirá trabalhos orientados pelo ideal narcísico, caminho rápido para inibição e efeito de cola. Nossa diretoria se pretende atenta às consequências que isso provoca. Consideramos de nossa responsabilidade o acompanhamento das formalizações de Cartéis, bem como de suas dissoluções e a possibilidade de um fecundo trabalho de luto. Atentos a uma contemporaneidade que exige eficiência, rapidez e gozo, procuramos não sucumbir a essas exigências, sustentando esse Ato de Lacan. É importante tomá-lo e fazê-lo consequente, acolhendo produções-resto dos cartéis, sejam elas de seus finais ou de seus impasses.
O Cartel propõe a produção de um saber novo. Um trabalho de subjetivação e de produção de enunciações. Através da enunciação, esperamos que cada sujeito encontre seu lugar na Escola.

Sarita Olga Gelbert - diretora
Angela Negreiros - mais 1
Cleide R Maschietto - cartelizante
Deborah Souza - cartelizante
Dinah Kleve - cartelizante
Elena Lerner - cartelizante

O que é o Cartel?


Clique aqui para acessar a página da EBP para mais informações sobre os cartéis.

Como funciona?


Entra-se no cartel por interesse em torno de um tema. Elegem-se quatro para fazer um trabalho que deve ter um produto próprio de cada um e não coletivo. Os quatros se reúnem em torno do Mais-Um que, embora possa ser qualquer um, deve ser alguém. A seu cargo estará o velar pelos efeitos do empreendimento e provocar a elaboração. Terminado o trabalho, em no máximo dois anos, faz-se uma transmissão a “céu aberto” dos resultados. Logo se dissolve o cartel e permutam seus integrantes.

Procura-se Cartel


Quem tiver interesse em formar um cartel deve colocar nome, tema de interesse e e-mail no “Mural de Cartéis - Procura-se Cartel”, na Sede da EBP-Rio.

Procura-se Cartel online


Clique aqui para acessar a página da EBP e efetuar a procura de um cartel online.

Como declarar um cartel?


Cabe ao Mais-Um inscrever o cartel junto a Escola. A inscrição é feita pelo site da EBP, preenchendo-se uma ficha online, onde serão declarados os seguintes dados: o título do cartel, a data de constituição, os dados dos cartelizantes e do Mais-Um, assim como a escolha por uma das seis rubricas que define a orientação de trabalho:

  1. Leitura: conceitos fundamentais
  2. Clínica: teorias e práticas
  3. Psicanálise e instituição
  4. Conexões
  5. Política
  6. Centros de Atendimento

A partir da inscrição, efetivada pela aprovação do Diretor/Coordenador de Cartéis de cada Seção ou Delegação ao qual o cartel está vinculado, ele passa a constar no Anuário de Cartéis, também veiculado no site da EBP.

Como se dá a dissolução do cartel?


Num prazo estabelecido por Lacan de um, no máximo dois anos, o cartel se dissolve. Tal conclusão é necessária, pois permite evitar a inércia típica de grupos de trabalho, que acabam por obstaculizar a produção de um novo saber para o sujeito. Um cartel se dissolve também pelo desligamento, em qualquer tempo, de um de seus membros. Como com o nó borromeano, quando um laço se desfaz, desfaz-se o próprio nó.
Cabe ao Mais-Um participar a dissolução do cartel ao Diretor/Coordenador de Cartéis da Seção ou Delegação ao qual o cartel está vinculado.

Acolhimento


Para maiores informações: EBP-Rio / Diretoria de Cartéis ebprio@ebprio.com.br