PROGRAMAÇÃO JUNHO/2017
EBP/SEÇÃO-RIO

NOTAS DA DIRETORIA

Desde que redigi a última notícia aqui, muito aconteceu no Brasil e na nossa comunidade analítica. Foi um mês intenso que ainda está em curso enquanto escrevo essas linhas, na incerteza do futuro do país.

Na Seção Rio, retransmitimos ao vivo a conferência de Jacques-Alain Miller em Madri, no último dia 13. O impacto desse evento ainda ressoa nos nossos canais na Web.

Nossos seminários institucionais ocorreram com a participação de muitos. Assistam aos vídeos do Seminário de Orientação Lacaniana e do Seminário de Lições do Passe (ao rolar para baixo esse e-mail, acha-se os links para os vídeos).

Em seguida, vocês lerão a agenda de nossas atividades de junho.

Como anunciado, iniciaremos um ciclo de palestras semestrais sobre as “Raízes literárias da psicanálise”.

Merece destaque, também, o lançamento do livro, O crime à luz da psicanálise lacaniana, de nosso colega Manoel Barros da Motta. Confiram.

A diretoria de cartéis está promovendo a formação de novos cartéis num evento, dia 10. Serão bem vindos todos aqueles que querem saber como funcionam os carteis na EBP e/ou gostariam de encontrar um cartel para trabalhar.

A editora de Latusa já recebe propostas de artigos para o novo número.

Lembro ainda que as Escolas americanas da AMP estão bastante envolvidas na preparação do VIII Encontro Americano de Psicanálise de Orientação lacaniana/ENAPOL que ocorrerá em Buenos Aires, nos dias 14 e 15 de setembro. Aqui no Rio, faremos uma atividade preparatória, no dia 7 de julho, a partir de algum material para as conversações do ENAPOL “Assuntos de família e seus enredos na prática”.

Vamos em frente...


Angela Bernardes



AGENDA

SEMINÁRIO DE ORIENTAÇÃO LACANIANA
Coordenação: Angela Bernardes e Marcia Zucchi
Convidada: Maria do Rosário do Rêgo Barros
5 de junho – Largo dos Leões, 70

PROCURA-SE CARTEL
Coordenação: Rachel Amin
Sábado dia 10 de junho às 10h30 – Sede da EBP-Rio – rua Capistrano de Abreu, 14

SEMINÁRIO CLÍNICO
Coordenação: Rachel Amin
Apresentação: Maria Angela Maia
Debatedora: Elza Freitas
12 de junho – Sede da EBP-Rio – rua Capistrano de Abreu, 14

LIÇÕES DO PASSE
Coordenação: Stella Jimenez
19 de junho– Largo dos Leões, 70

LANÇAMENTO do livro O crime à luz da psicanálise lacaniana de Manoel Barros da Motta
Debate com Stella Jimenez e Angélica Bastos, coordenado por Elisa Monteiro
Sexta-feira 23 de junho às 18h00 – Sede da EBP-Rio – rua Capistrano de Abreu, 14 

RAÍZES LITERÁRIAS DA PSICANÁLISE I
“Odisseia de Homero: cenas típicas e narrativa oral”
Conferência de Teodoro Rennó Assunção, professor do Departamento de Línguas Clássicas da FALE/UFMG
26 de junho – Largo dos Leões, 70




LATUSA 22

O próximo número – 22 – da revista Latusa, publicação da EBP-Rio, terá como tema Loucuras atuais.
Como se enlouquece hoje?

As especificidades do Outro de cada época são determinantes para a construção das respostas sintomáticas. O incremento das compulsões, por exemplo, tem sido relacionado à ascensão do objeto e ao declínio dos ideais. Ao lado disso, temos, na atualidade, novas configurações familiares e um contexto de diversidade sexual que, sendo fruto dos nossos dias, ao mesmo tempo provocam efeitos. Outro aspecto contemporâneo seria a suposta transparência produzida pelas redes sociais, que atravessa as relações amorosas e de amizade, incidindo sobre elas. Ademais, alguns conteúdos da internet sofrem a chamada viralização, estimulando actings e passagens ao ato.

Eis aí alguns exemplos de acontecimentos dos nossos dias. Mas será que a forma de fazer sintoma mudou? O que varia e o que permanece imutável nos modos de enlouquecer? E qual o lugar do analista diante disso?

Latusa 22 convida os colegas a compartilharem suas elaborações sobre as loucuras atuais, a partir da escuta sob transferência.

Maria Inês Lamy
Editora

O prazo de envio de trabalhos é dia 17 de julho, impreterivelmente.

No envio dos textos, pedimos que o autor indique se tem alguma filiação ao Campo Freudiano:
- membro da EBP/ AMP
- aderente da Seção Rio (ou de outra Seção ou Delegação)
- cartelizante
- aluno do ICP-RJ (ou de outro Instituto do Campo Freudiano)
- participante de Núcleo de Pesquisa do ICP
- participante do Cien


Vídeo

Assista aqui:
Seminário de orientação lacaniana 08/05/2017:
https://youtu.be/eU0Easb_phU

Lições do passe 22/05:
https://youtu.be/4uc5bQUbOGU





CRÉDITOS

Comissão de Divulgação e Mídia da Seção Rio:
Sandra Landim (coordenação), Lourenço Astúa de Moraes (consultor), Natália Maia Coutinho, Patricia Paterson, Paula Legey e Thereza De Felice.

 





Andamento do ICP-RJ



DOS NÚCLEOS E UNIDADES DE PESQUISA

Sobre a Conversação virtual dos Núcleos de Psicose e Saúde Mental do Rio e de Santa Catarina

Vicente Machado Gaglianone

No dia 6 de maio, sábado, às 14hs, aconteceu na Seção Rio a primeira de uma série de Conversações virtuais entre os Núcleos de psicose do Rio e de Santa Catarina. Esse modelo de intercâmbio, que propicia entender e ao mesmo tempo favorecer o múltiplo de nossa Escola, mostrou-se um dispositivo vivo e dinâmico, que já desenvolvíamos há quatro anos com o Instituto de Minas. Abre-se, agora, com SC, mais uma série que esperamos dar muitos frutos. Nessa primeira conversação coube a eles apresentarem o caso e, após nossos comentários, abrir uma roda de conversa. Transcrevo abaixo resumidamente o teor de nossos comentários – a conversação propriamente dita está sendo transcrita para posterior divulgação.

Leia mais






CIEN-RIO



Notícias

Vania Gomes e Roberta D`Assunção - Coordenação CienRio

No dia 2 de maio, a coordenação do Cien-Rio promoveu uma conversação interdisciplinar com o tema “A criança e a família no hospital oncológico: laços possíveis diante da finitude”. O laboratório Singularizar o Cuidado convidou para essa conversação Marcela Martins, oncohematologista pediátrica e Marina Leorne, psicóloga especializada em oncologia, profissionais que trabalham em um Hospital Oncológico e que colaboraram na escrita de quatro vinhetas práticas. Essas vinhetas trouxeram a questão da finitude, como ela se coloca para cada uma das crianças e jovens em tratamento, para seus familiares, e as diversas formas que a equipe encontra para dar “dignidade” ao impossível de evitar, a morte.

A experiência desse laboratório ensina como se fazem os laços na equipe para “fazer valer” a palavra e o desejo das crianças nesse momento difícil. A delicadeza com que as intervenções se dão, quando o discurso de “cura” da medicina encontra seu limite, nos permitiu ver nesse laço uma possibilidade de tratamento frente ao real que se apresenta, tanto para a criança quanto para cada profissional envolvido. Uma psicóloga fala de uma situação em que recua de seu saber e deixa que uma decisão seja tomada por um médico. Um limite, portanto, que faz laço com o outro. Esse ponto destacado na conversação ressoa para outros laboratórios presentes e surgem algumas situações em escolas e também no Caps. Os impasses trazem então a oportunidade de colocar a trabalho os impossíveis para cada um, recolher o que se produz desse encontro e sustentar os laços que se fazem nessa aposta.

No dia 6 de junho, convidaremos o laboratório Infância Errante com o tema “Violência e segregação familiar da loucura”.

Você está convidado!





AGENDA DO ICP



- 06 de junho – terça-feira, às 20h30
Conversação interdisciplinar do CIEN Rio
Coordenação: Vania Brito e Roberta D’Assunção (colaboradora)

- 30 de junho – sexta-feira, às 18h00
Encontro com a Clínica do autismo
Coordenação: Maria do Rosário C. do Rêgo Barros e Paula Borsoi





BLOG E FACEBOOK

Visitem nosso Blog dos Núcleos e Unidades de Pesquisa e nossa página do Facebook pelos links abaixo:





CRÉDITOS

Comissão de publicação do ICP-RJ: Tatiane Grova (coordenação), Ana Maria Lima, Francisca Menta Soares, Leonardo Miranda, Luiza Sarrat Rangel, Sandra Landim, Tatiana Grenha e Thereza De Felice