PSICOSE E SAÚDE MENTAL

Coordenação: Vicente Machado Gaglianone
Co-coordenação: Paula Borsoi
Periodicidade e horário: segundas e quartas terças-feiras do mês, às 19h30
Início: 12 de março

A sentença lapidar de Lacan, “só o amor permite ao gozo condescender ao desejo”1 , elucida o enodamento entre amor, desejo e gozo na existência do parlêtre. A tirania da pulsão de morte, que acossa os sujeitos psicóticos por não contarem com o apoio da mediação do Nome-do-Pai para relativizar a voracidade do desejo materno, deixa como legado a esses sujeitos, como Lacan dirá, a experimentação do amor como um “amor morto”2 , não sendo apto assim, nas psicoses, a promover a condescêndencia do gozo ao desejo.
Essa carência de mediação simbólica deixa, com frequência, as vias abertas às passagens ao ato, em que o Outro gozador fica reduzido à sua dimensão puramente imaginária e, portanto, suscetível à destruição.
Pretendemos ao longo do primeiro semestre, motivados pela orien­tação do tema de nosso próximo Enapol “Ódio, cólera e indignação”, nos servir de alguns casos famosos da literatura psicanalítica, como o Caso Landru e As irmãs Papin, assim como das referências cinematográficas Taxi Driver e Entre Elas,e acompanhar as coordenadas dos desencadea­mentos dessas psicoses, que encontraram como solução a destruição de seu Outro.

Referência bibliográfica básica:
Biagi-Chai, F. Le cas Landru: à la lumière de la psychanalyse. Paris: Imago, 2007.
Lacan, J. Seminário 3: As psicoses. Rio de Janeiro: Jorge Zahar
________Da psicose paranóica em suas relações com a personalidade. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 1987.
Vieira, M. A. Barros, R. (org.) Ódio, segregação e gozo. Rio de Janeiro: Subver­sos, 2012.

1 Lacan, J. Seminario Livro 10: A angústia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, p.197.
2 Lacan, J. Seminário Livro 3: As psicoses. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, p. 291